CEO Da Rede Clube Turismo





Ainda na faculdade de turismo, Ana Virgínia Falcão tentou, mas não foi selecionada para um estágio na agência Top Mundo Turismo, em João Pessoa (PB), em 2005. Após um ano, foi chamada para a mesma vaga, saiu logo depois para estagiar no setor público e voltou em 2007 para ser efetivada como agente de turismo. Agora ela é CEO da empresa —que mudou o nome para Clube Turismo— e formatou o modelo de franquias em 2008. Hoje, a rede tem 566 unidades e faturou R$ 79,4 milhões no ano passado.

A então Top Mundo Turismo era uma agência pequena, tocada por dois sócios: George Lima, 71, e seu filho Uirá Lima, 42. Portanto, quando Ana Virgínia e os dois sócios decidiram formatar o modelo para franquia, a estrutura era bem enxuta.

“Isso me fez centralizar uma série de rotinas operacionais e estratégicas, como planejamento do negócio, atendimento e seleção de candidatos a franquia, treinamento dos novos franqueados, atendimento a clientes, etc. A expansão se deu de modo muito acelerado e gradativamente fomos ampliando a equipe, delegando tarefas e melhorando nossa estrutura”, afirmou Ana Virgínia, 38, que, além de CEO da rede, é dona de uma franquia em João Pessoa.





Para fazer a transição de uma agência de viagens para uma rede de franquias, o investimento foi de R$ 120 mil. Em 2021, a empresa faturou R$ 79,4 milhões. O lucro não foi revelado.

Teve experiência no setor público

Aos 22 anos e no terceiro período da faculdade de turismo, Ana Virgínia tentou seu primeiro estágio na Top Mundo Turismo. Não passou e foi estagiar em uma agência concorrente, onde ficou por oito meses.

Em seguida, trabalhou em um hotel de João Pessoa. “A experiência, apesar de curta, foi suficiente para conhecer o funcionamento da hotelaria em um setor que é considerado o coração de um hotel, a recepção. O que aprendi lá contribuiu muito para minha atuação no agenciamento de viagens”, declarou.

Foi nessa época que recebeu um convite para estagiar na Top Mundo Turismo. Atuou por seis meses ali e decidiu sair para abraçar uma oportunidade de estágio (não remunerado) na Secretaria de Turismo do município.





Por ser estudante, buscava conhecer diferentes setores do turismo para definir com segurança aquele que mais me atraía. A experiência no setor público foi válida para mostrar que o setor privado era realmente o que eu buscava.
Ana Virgínia Falcão, CEO da Clube Turismo

Ana Virgínia logo recebeu outra proposta da Top Mundo Turismo para voltar, mas dessa vez como agente de viagem e carteira assinada. Em 2008, ela e os sócios iniciaram a formatação para o modelo de franquia. Mudaram o nome da empresa para Clube Turismo, e Ana Virgínia virou CEO.

Em 2015, ela e o marido, Caetano Falcão, 41, compraram uma franquia da rede. “Por ser sócia em uma franquia, consigo ter o olhar do franqueado e sentir quais são os novos desafios do mercado”, afirmou. Faturamento e lucro da franquia não foram divulgados.

Rede tem 4 modelos de franquia

A Clube Turismo tem quatro modelos de negócio: home office (para pessoa física), home office prime (para pessoa jurídica), loja e master (responsável pela expansão da franquia em seu estado; disponível apenas para franqueado que já tem loja). O investimento inicial varia de R$ 6.900 a R$ 80 mil.

A rede vende todos os serviços de agenciamento de viagens (passagens aéreas, pacotes, cruzeiros e consultoria para obtenção de visto, entre outros). Existem alguns serviços próprios, como o Clube dos Noivos (pacotes de cotas para os convidados presentearem os noivos com a viagem de lua de mel) e o Credviagem (programa no qual o cliente faz aportes mensais para viagens futuras).

Cuidado com crescimento da rede de franquias

Aline Delmanto, gestora estadual de turismo do Sebrae-SP, diz que uma postura empreendedora é ter visão de possibilidades futuras de negócio.

“O empreendedorismo não está só relacionado a abrir ou não um negócio. Também é você empreender dentro da própria empresa, ao perceber uma oportunidade. E foi o que a Ana Virgínia fez”, disse.

Segundo Aline, a Clube Turismo cresceu e sempre teve um relacionamento muito próximo a seus franqueados, mesmo durante a pandemia. A consultora diz, no entanto, que o tamanho da rede pode ser um ponto de atenção.

“É preciso planejar muito bem o seu projeto de expansão para não perder o controle, garantindo sempre o bom serviço, a segurança e o suporte para o franqueado administrar bem o negócio e a qualidade de atendimento. Para isso, a estrutura administrativa da franqueadora tem que crescer na mesma proporção. Afinal, o cliente da franqueadora é o franqueado”, explicou.

Onde encontrar:
Clube Turismo – www.franquiaclubeturismo.com.br/